Bases para aviões - A minha versão - diversos materiais

Moderadores: Moderadores, Moderadores Sénior

Bases para aviões - A minha versão - diversos materiais

MensagemEscrita por João Carlos Teixeira » 23 Mai 2017, 20:41

Bases para aviões - A minha versão - Flat K-line

Começou como um desafio do Mestre, no meu post do Typhoon da Airfix.
Eu não sou mestre, mas sei fazer umas coisas.
E aqui vai uma coisa das que vou sabendo (ou julgo que...).

Andei a fotografar lajes de cimento (os smartphones dão mesmo jeito) em tudo o que é passeio ou praça, meia de photoshop, imprimi em papel autoadesivo e colei em kline (flat e sem relevo, portanto). Depois...
Peguei numa caneta sakura 0.2 e toca de desenhar os cracks do cimento... washes e salpicos e pastel seco... Etc.
Basicamente é tudo pintado á mão...

Aviso:

Estas são em K-line, mas não são como as que o Emmanuel Nouallier faz.

Ele retira a camada de papel de um dos lados do K-line e usa a espuma de plástico como material plástico.
Eu já fiz umas experiências nesse sentido, mas não ficaram satisfatórias. O segredo, creio eu tem que ver com o acabamento da superfície antes da pintura. Já obtive antes alguns resultados minimamente satisfatórios, "aparelhando" a espuma com aquaplast bastante diluído e depois primário para cima, antes da pintura. Um dia venho aqui fazer o relato dessas bases.

Mas estas, como antes disse, não são assim.
São apenas bases pintadas.

Começam a vida como impressões em papel coladas em K-line de 5mm. Eu tenho acesso a plotters "heavy duty" HP (Z6100, Latex 360 e Latex 570, para quem tiver curiosidade) e a impressão é feita a 1200 Dpi com tintas mais ou menos resistentes á água e solventes (Z6100, tintas Vivera...), mas creio que há máquinas A4 que podem fazer o mesmo efeito, é uma questão de procurar...

Cá estão as impressões das bases feitas a partir de fotografias trabalhadas em photoshop.

Imagem

Já têm alguma textura natural (são fotos de cimento mesmo...) e podem ser usadas assim.
No entanto para o modelismo há que aumentar o dramatismo e o detalhe aparente.
Sujando-as e desenhando sobre elas...
Assim:

Imagem

Começando o processo:

Imagem

Primeiro este wash verde diluído em white spirit, como se fosse uma aguarela.

Imagem

Depois um pouco de Track Wash igualmente diluído, salpicado e acumulado em algumas zonas.
A ideia é criar textura mais ou menos aleatória e "orgánica".

Imagem

Usando uma barra de pastel seco como se fosse giz raspada sobre a base, obtém-se uma textura mais "cimentícia"...

Imagem


Nesta fase pode texturizar-se usando a técnica da esponja e com (por ex.) este wash tom de areia clara, meio misturado com o pó do pastel seco...
Eu tenho uma aproximação a esta actividade de construção de bases um pouco como um artista plástico (não me quero armar em artista, é apenas o processo gráfico) e portanto deixo-me guiar pela experimentação e o "feeling" do momento.

Imagem

Convém secar bem a base (usando um acelerador de partículas, vulgo secador de cabelo) e selar com um verniz mate. Realço que qualquer que seja o verniz usado há sempre uma tendência para o clareamento e esbatimento das texturas... pode ser misturado um pouco de cera acrílica (pledge, future, jontec, whatever...) para obter um semi-mate, é conforme o gosto do freguês...

Imagem

Depois é desenhar.
Cuidado com estas canetas, que têm a tendência para entupir com facilidade... eu tenho sempre uma folha limpa ao lado onde vou "limpando" as pontas...

Imagem

Depois com alguma paciência a coisa fica assim. Quem quiser pode continuar a "intervir" sobre a superfície e tentar reduzir o efeito "cartoon", mas eu gosto assim, um pouco BD...

Imagem

Como era e como ficou... em pouco mais de uma hora...

Imagem

Para maior efeito "avónico", pintar umas riscas... Estas bases já têm um tempo...

Imagem
We CAM in Peace!
Abraços, João JCT Carlos.

PS. O photobucket está a flipar... apaguei a conta. Uso Imgur agora.
A assinatura tá como dantes agora vou actualizá-la... :(

ImagemImagemImagem
ImagemImagem
Avatar do utilizador
João Carlos Teixeira
Moderador
Moderador
 
Mensagens: 3544
Registado desde: 02 Dez 2009, 23:03
Localização: Maia junto ao Porto
Medalhas: 14
3 GBs (1) 5 GBs (1) 10 GBs (1) GB 32 - Ivan's Air Power (1) GB 34 - Hidro-Aviões (1)
Nome real: Chamem-me JCT para abreviar...

Re: Bases para aviões - A minha versão - Flat K-line

MensagemEscrita por Moreno » 23 Mai 2017, 22:09

Excelente tutorial, obrigado JCT.
Avatar do utilizador
Moreno
 
Mensagens: 2498
Registado desde: 15 Jul 2014, 13:00
Nome real: António Moreno

Re: Bases para aviões - A minha versão - Less flat PVC

MensagemEscrita por João Carlos Teixeira » 23 Mai 2017, 22:27

Bases para aviões - A minha versão - Less flat PVC

Há uma outra metodologia que uso para as bases. O PVC expandido.
Pode comprar-se em casas do género da Mitera ou Norlene e fica relativamente barato para uma placa de 3mm.

Primeiro três ferramentas fundamentais:
Escova de arame, régua de aço e estilete (não precisa ser um 3M todo pipi...)

Imagem

Com a régua e estilete, fazemos em primeiro lugar as separações das lajes.
Há na internet informação sobre as dimensões das Lajes, mas eu uso cerca de 6cm de separação para bases a 1/72.
Evitar fazer os riscos perpendiculares aos limites da placa, ficam "estranhos", é preferível fazê-los com uma inclinação ligeira (entre 15 e 30 graus...).
Depois, usando a escova de arame, texturizo a superfície. O PVC expandido já tem uma textura levemente rugosa de origem, mas com a escova faz-se buracos "picando" e sulcos raspando.

Para interiorizarmos o aspecto do cimento das pistas sugiro uma boa pesquisa por imagens no Google, mas também, na próxima vez que estiverem a atestar o "boguinhas" olhar com olhos de ver para as Lajes de cimento das estações de serviço... são muito semelhantes ás das pistas. Observar não só a textura do cimento, mas também a sujidade e as pingas de óleo e gasolina, as marcas de pneus etc...

Imagem

De seguida, usando o estilete (ou qualquer ferramenta afiada, um prego, uma agulha no pin-vise, etc...) há que gravar o efeito da decadência no cimento... rachas, quebras e demais "incidentes".

Para inspiração basta andar de olhos no chão e ver como os passeios em cimento se degradam...

Imagem

Em seguida usando um wash de acrílico (tinta preta muito diluída em água e com uma pinga de um detergente ou limpa vidros, para quebrar a tensão superficial), aplica-se no plástico. Serve apenas para servir um pouco como pré-shade e "texturizador".

Imagem

Depois de seco fica assim.

Imagem

Para quebrar o branco do plástico ainda exposto aplico um amarelo ocre. O cimento é um material extremamente difícil de representar pois apresenta imensas variedades tonais... desde o azul cinza ao amarelo rosa... E muitas vezes com variações e misturas dessas cores. Por outro lado a idade e exposição aos elementos, musgos e líquenes, pode ainda variar mais o aspecto.
Quem quiser um dia fazer uma experiência é dar um grande passeio a pé pelas ruas de uma cidade e ir fotografando todos os tipos de pavimento de cimento que encontrar... passeios, garagens, armazéns, praças, etc... é um bom exercício de documentação.

Imagem

Para uniformizar aplico o tom base em camadas transparentes. Uso o "Pale Blue Gray" mas deixo sempre transparecer um pouco dos tons amarelos e do "pré-shade" anterior.
Aqui aplico também uma camada de cera acrílica para proteger do que vem a seguir.

Imagem

Depois de bem seco (hoje não deixei secar muito bem, mas o acrílico precisa de pelo menos 24 horas para aguentar o wash) aplico um wash de óleos diluídos em "white spirit" (ou seja aguarrás). usei preto e amarelo, mas poderia ter usado sienna ou azul em vez do amarelo. Tudo depende das tonalidades que quero reforçar.
Deixar secar bem... uma ou duas horas.

Imagem

Depois de bem seco, com o auxílio de um papel absorvente ou um pano, retirar o excesso de óleo. Podemos ir sempre doseando o grau de "aclaramento" passando mais ou menos o papel limpo. Ir rodando sempre para uma zona limpa do papel, pois senão apenas estamos a "borrar"...
Como as tintas de óleo levam muito tempo a secar, dá para ir retirando sempre o wash excessivo até obtermos o resultado pretendido: não obliterar as tonalidades base em demasia, mas aplicar um filtro unificador e fazer realçar as texturas e sulcos que criámos na gravação inicial.

Imagem

Até este ponto, embora tenha feito textura, tonalidade e relevo, ainda não é uma pista. Poderia ser uma garagem, ou um pátio.
Para, de repente, obter uma pista, tenho primeiro que mascarar.

Imagem

Uma risca branca, amarela, ou amarela sobre preto... tracejada, direita, curva ou inteira, não interessa.
De repente somos logo remetidos para o imaginário dos aeroportos e bases aéreas.
Convém fazer um pouco de investigação (ou seja, google...) para encontrar linhas e simbologia verossímeis.
Neste caso optei por uma linha inteira.

Imagem

Se repararem bem nas pinturas das estradas, passadeiras de peões e afins, a tinta está sempre "ratada" e rachada. Temos que simular um pouco isso nesta linha, a pincel, primeiro.

Imagem

Usando a técnica da esponja com washes diluídos em white spirit, adicionamos zonas mais sujas, musgo e envelhecimentos genéricos ao cimento.
Estes washes funcionam bem. Track wash é sobretudo castanho, enquanto que streaking grime é verde escuro...

Imagem

Vendo as fotos de placas de aeroporto e bases aéreas no mundo inteiro há sempre uma coisa em comum: os sítios onde se parqueam os aviões estão sempre cheios de pingas de óleo, combustível e sujidade em geral.
Para simular isso de uma forma simples, usar um pincel deste género, um wash bastante diluído (pode ser tinta acrílica também, bastante diluída.) e batendo com o dedo fazer salpicar a superfície.

Imagem

Só falta o final touch.
aplicar preto nas orlas da placa, aerografando com a placa voltada ao contrário, para evitar mascarar e evitar tinta (overspray) na obra d'arte que acabámos de criar...

Imagem


Só nos resta colar na moldura e voilá:

Uma pista para levar um avião a uma exposição.

Imagem
We CAM in Peace!
Abraços, João JCT Carlos.

PS. O photobucket está a flipar... apaguei a conta. Uso Imgur agora.
A assinatura tá como dantes agora vou actualizá-la... :(

ImagemImagemImagem
ImagemImagem
Avatar do utilizador
João Carlos Teixeira
Moderador
Moderador
 
Mensagens: 3544
Registado desde: 02 Dez 2009, 23:03
Localização: Maia junto ao Porto
Medalhas: 14
3 GBs (1) 5 GBs (1) 10 GBs (1) GB 32 - Ivan's Air Power (1) GB 34 - Hidro-Aviões (1)
Nome real: Chamem-me JCT para abreviar...

Re: Bases para aviões - A minha versão - Flat K-line

MensagemEscrita por zepalmer » 23 Mai 2017, 22:41

Fantástico tutorial.


José Oliveira
Avatar do utilizador
zepalmer
 
Mensagens: 55
Registado desde: 16 Mai 2014, 23:27
Nome real: José Oliveira

Re: Bases para aviões - A minha versão - diversos materiais

MensagemEscrita por Moreno » 23 Mai 2017, 22:47

Gostoais desta segunda opção. Não sei porquê, mas gosto. :)
Avatar do utilizador
Moreno
 
Mensagens: 2498
Registado desde: 15 Jul 2014, 13:00
Nome real: António Moreno

Re: Bases para aviões - A minha versão - diversos materiais

MensagemEscrita por Gonçalo Mendes » 24 Mai 2017, 03:59

Tópico impecável! Obrigado pela partilha!
G_Mendes
Avatar do utilizador
Gonçalo Mendes
 
Mensagens: 641
Registado desde: 21 Abr 2005, 09:58
Localização: Évora - Alentejo e Torres Novas

Re: Bases para aviões - A minha versão - diversos materiais

MensagemEscrita por Antonio Sobral » 24 Mai 2017, 07:11

Excelente, JCT!

Como gosto mais de "esgravatar" do que de imprimir, sou mais fã da "opção PVC".

Agora que já sabemos como se faz, não há desculpas para os nossos avianitos não ficarem com uma base à maneira :)
Um Abraço

António Sobral
Avatar do utilizador
Antonio Sobral
 
Mensagens: 5450
Registado desde: 30 Nov 2005, 17:18
Localização: Oeiras
Medalhas: 31
3 GBs (1) 5 GBs (1) 10 GBs (1) GB 08 -20000 Léguas Submarinas (1) GB 09 - Helicopters in Action (1)
Nome real: António Sobral

Re: Bases para aviões - A minha versão - diversos materiais

MensagemEscrita por luis pacheco » 25 Mai 2017, 16:07

Obrigado pelos "tutorials".

Para mim o difícil é conseguir PVC para me aventurar.

Segunda-feira estive perto da Norlene mas não dava para trazer no avião.
luis pacheco
 
Mensagens: 1807
Registado desde: 09 Ago 2007, 17:04
Localização: Ponta Delgada, São Miguel, Açores
Medalhas: 4
3 GBs (1) GB 39 - Matchbox Revival (1) GB 41 - Caixa de Sobras (1) GB 55 - História da MiG (1)
Nome real: Luís Pacheco

Re: Bases para aviões - A minha versão - diversos materiais

MensagemEscrita por jeugeniocascalheira » 25 Mai 2017, 17:49

Muito obrigado por mais está lição. :wink:

Abraços Modelísticos. :mrgreen:
1/72 a minha escala.
Avatar do utilizador
jeugeniocascalheira
 
Mensagens: 2477
Registado desde: 06 Jun 2013, 19:03
Localização: SARDOAL
Nome real: José Eugénio Cascalheira

Re: Bases para aviões - A minha versão - diversos materiais

MensagemEscrita por dmachado » 25 Mai 2017, 19:15

Impressionante, João, grande tutorial. Hei-de tentar fazer uma destas...
Demasiado realismo pode ser um bocado irreal...

Mais alguém tem um monstro da carpete num soalho de madeira?...
Avatar do utilizador
dmachado
 
Mensagens: 263
Registado desde: 02 Jan 2013, 11:08
Localização: Vila do Conde - Portugal
Nome real: Daniel Machado

Re: Bases para aviões - A minha versão - diversos materiais

MensagemEscrita por MAJOR ALVEGA » 29 Mai 2017, 09:52

:D às vezes deixamo-nos ir pelo mais fácil e rápido, vulgo impressões em papel, e esquecemo-nos que existem tantas possibilidades.
Avatar do utilizador
MAJOR ALVEGA
 
Mensagens: 1447
Registado desde: 07 Mar 2006, 09:56
Localização: Póvoa Sta. Iria
Medalhas: 8
3 GBs (1) 5 GBs (1) GB 21 - Out of the Box (1) GB 23 - Deutsches Afrikakorps (1) GB 27 - Hovercrafts e Anfíbios (1)
Nome real: Paulo Pereira


Voltar a Cenários e Dioramas

Quem está online

Utilizadores a consultar este fórum: Nenhum utilizador registado e um visitante