Como Seleccionar um Aerógrafo para Modelismo

Moderadores: Moderadores, Moderadores Sénior

MensagemEscrita por Antonio Sobral » 06 Fev 2010, 17:17

Como Seleccionar um Aerógrafo para Modelismo

Capítulo 0 - Introdução

Tema recorrente e sempre actual, a escolha do primeiro aerógrafo é um assunto que pode causar alguma angústia ao pessoal que se mete nestas andanças pela primeira vez, e que se vê inundado por marcas e modelos de todos os tamanhos e feitios, e preços para todas as bolsas.

Mas com calma e paciência, acabamos por chegar a conclusões, e o processo, embora não seja fácil na parte comercial, acaba até por ser relativamente simples na parte técnica.

NOTA IMPORTANTE:
O que vão ler a seguir não vos vai conduzir a uma resposta concreta e específica do tipo: comprem a marca X modelo Y. Se estiverem à espera disso é melhor não continuarem a ler!
O que se pretende aqui é elucidar e alertar para os vários aspectos a ter em consideração na escolha de um aerógrafo, de forma a terem uma ideia clara do que pretendem e podem esperar. A decisão final da escolha da marca e do modelo será sempre do leitor!


Capitulo 1 – Selecção Técnica do Aerógrafo

No mundo do modelismo, existem 3 tipos de utilizadores de aerógrafos.

1. Os utilizadores básicos
E não estou a falar de básico no sentido pejorativo do termo, mas sim no sentido literal; daquelas pessoas que, pura e simplesmente, para a sua actividade, apenas necessitam de algo para espalhar a tinta de uma forma rápida, e sem grandes necessidades de precisão.

Para esses, o ideal mesmo é comprar um pulverizador (spray gun), e não um aerógrafo. Há de várias marcas (Revell e Badger são as mais comuns), custam pouco dinheiro (coisa para 20 Euros) e dão poucas chatices.

2. Os utilizadores avançados
São aqueles que têm necessidades muito específicas de precisão em termos das prestações do aerógrafo. Mas esses já não são novatos nestas andanças e sabem perfeitamente o que precisam, por isso não necessitam de dicas!

São normalmente utilizados por artistas gráficos, ou modelistas com os bolsos suficientemente fundos, e custam habitualmente acima dos 200 Euros.
Estamos a falar dos Badger Sotar 20/20 e dos Iwata Custom Micro, por exemplo.


3. Os utilizadores médios
Que somos praticamente todos nós! E são esses que necessitam de uma ferramenta que faça basicamente um pouco de tudo, e pelo menor custo e chatice possível.


Agora que já vimos QUEM precisa, vamos esmiuçar um pouco DO QUE É QUE precisa.

E essa análise passa por 7 escolhas que temos de fazer:

Escolhas Obrigatórias
1. Que tipo de mistura? Externa ou interna?
2. Que tipo de acção? Simples ou dupla?
3. Que tipo de alimentação da tinta? Gravidade ou sucção?
4. Dimensão do copo da Tinta? Grande ou pequeno?
5. Diâmetro do bico? Fino, médio ou largo?

Escolhas Opcionais
6. Regulador de pressão? Sim ou não?
7. Limitador de fluxo? Sim ou não?

Se não estiverem familiarizados com algum dos termos acima indicados, então é altura de darem uma vista de olhos pela primeira parte da Lição do Curso Básico de Modelismo que trata da pintura a aerógrafo, e que explica e ilustra esses conceitos.

1 Que tipo de mistura?
Os fabricantes já se encarregaram de tomar essa decisão por nós, pois hoje em dia, 99% dos aerógrafos que existem são todos de mistura interna, dada essa arquitectura permitir inerentemente melhores prestações da ferramenta, desde traços mais finos a uma melhor atomização da tinta. Portanto aqui a resposta é simples: Mistura interna.

2. Que tipo de acção?
Nos tempos da “velha senhora” (não é essa que estão a pensar!), em que os aerógrafos de acção dupla eram bastante mais caros do que os de acção simples, faria talvez sentido, para alguém com um orçamento limitado, escolher um aerógrafo de acção simples. Hoje em dia, graças à democratização dos preços e dos modelos, essa situação está ultrapassada, e consegue-se comprar modelos de acção dupla a preços tão simpáticos e competitivos que o investimento adicional é irrisório.
O período de aprendizagem e habituação é ligeiramente mais longo, mas a flexibilidade de utilização compensa largamente esse pequeno óbice inicial.
Por tudo isso, o meu voto vai para um aerógrafo de acção dupla.

3. Que tipo de alimentação da tinta?
A alimentação por gravidade permite um melhor fluxo da tinta, uma limpeza mais fácil e rápida, e a utilização de menores pressões e quantidades de tinta.
A alimentação por sucção permite uma maior capacidade do contentor da tinta, e assim pintar mais sem a necessidade de recarregar o aerógrafo.
Para a grande maioria dos modelistas, a alimentação por gravidade, dadas as vantagens acima mencionadas, será a escolha acertada.
Para os que tiverem a necessidade de grandes quantidades de tinta, então a opção será a alimentação por sucção.

4. Dimensão do copo da Tinta?
Isso tem a ver com a dimensão dos modelos a pintar e a quantidade de tinta a utilizar. O ideal mesmo é ter um copo pequeno, para utilizações que necessitem de pouca tinta, e um copo maior, para as utilizações mais avantajadas.
Existem modelos de aerógrafos que já trazem dois copos (um pequeno e um grande) que podem ser trocados de acordo com as necessidades do momento. Essa solução traz o melhor dos dois mundos.
Mas se marca da vossa escolha não tiver essa possibilidade, é optar pelo copo grande, pois tanto leva o muito como o pouco. A desvantagem é que eventualmente essa maior dimensão pode obstruir parcialmente a visão do objecto a pintar, no caso de uma pintura fina de detalhe, muito perto da superfície do modelo.
Existem ainda algumas marcas que utilizam um sistema de copo lateral ao aerógrafo, o que permite obviar o eventual problema acima descrito.

5. Diâmetro do Bico?
Poderá ser chocante para muita gente, mas o facto é que 80% de todas as actividades realizadas no âmbito do modelismo podem ser realizadas com um bico de 0,4mm. O facto de o não serem prende-se, em primeiro lugar destacado, com a habilidade do artista (reparem que eu tive o cuidado de não dizer nabice!) e, em segundo lugar, com a qualidade intrínseca da ferramenta utilizada.
Os outros 20% das actividades necessitam realmente de um bico mais fino, tipo 0,2mm.

Para não ser demasiado radical, eu diria que 2 bicos (0.2mm + 0.4mm) é a opção que cobre todas as áreas, e que fará feliz a quase totalidade das pessoas. Alternativamente pode-se optar por uma solução de compromisso, com um bico 0,3mm.

Menos do que 0,2,mm para mim já é cair na categoria dos utilizadores experientes (ver descrição acima), o que sai fora deste âmbito.
E se alguém achar que precisa de um bico 0,6mm ou superior, então talvez o melhor mesmo seja um pulverizador (ver a descrição acima dos utilizadores básicos), que custa menos do que só o bico de um aerógrafo de “classe média”.

6. Regulador de pressão?
Se o vosso compressor não tiver regulador na saída, eu diria que este é um acessório essencial. Se tiver, é uma opção a ter em conta, e que permite uma maior flexibilidade na utilização do aerógrafo.
Salvo em alguns modelos mais dispendiosos, em que já vem incorporado no próprio aerógrafo, normalmente este é um acessório opcional que pode ser comprado posteriormente, pelo que a decisão pode ser adiada.

7. Limitador de fluxo?
Esta é uma funcionalidade que, em alguns aerógrafos têm vem incorporada, noutros é um acessório que se pode adicionar, e noutros ainda não é possível.
Basicamente trata-se de um mecanismo que limita o curso do gatilho, de forma a limitar o máximo de tinta que se pode aerografar.
É útil, mas não é essencial.

Suporte Técnico
A qualidade do suporte técnico do aerógrafo que decidirmos comprar é uma componente bastante importante, pois é esse suporte que nos vai permitir trabalhar, durante o tempo de vida útil do aerógrafo, sem a ameaça da falta de consumíveis e de peças em caso de avaria ou desgaste, que pode em alguns casos significar a perda total do investimento no aerógrafo.

Praticamente hoje em dia todas as marcas têm assistência técnica adequada, existindo todas as peças, acessórios e consumíveis para a sua operação e manutenção. A questão está na localização desse suporte!

Se escolherem uma marca com uma boa representação / distribuição em Portugal, têm a peça que necessitam em horas ou dias.
Se escolherem uma marca que não tenha representação / distribuição em Portugal, ou que esta exista mas seja deficiente, arriscam-se a esperar dias, semanas ou meses à espera.

Para evitar essas situações desagradáveis, é assim aconselhável, para as marcas de representação longínqua, comprar de antemão alguns dos acessórios e consumíveis mais comuns que se prevê vir a necessitar.
Nesse caso é boa ideia ter um conjunto extra de bico, agulha, vedantes, etc.
Mas isso obviamente que encarece o custo total do aerógrafo, dado o aumento do investimento inicial.
Mas, como sempre, a decisão é vossa!

Conclusão Técnica
Do acima exposto, poderemos então concluir que um aerógrafo, de mistura interna, acção dupla, alimentação por gravidade, copo grande e um bico de 0.4mm ou 0,3mm fará a felicidade da grande maioria dos modelistas.

O bico adicional de 0,2mm, os copos escamoteáveis, o regulador de pressão e o limitador de fluxo são opções a ter em conta, tal como vimos acima, mas não essenciais.


Capitulo 2 – Selecção Económica do Aerógrafo

Agora que já vimos as características técnicas de um aerógrafo aconselháveis para um modelista médio(seja lá isso o que for!), vamos então debruçar-nos sobre a maneira de traduzir essas características técnicas em marcas, modelos e, sobretudo, Euros.

É que a parte monetária acaba por ser a mais importante, pois não adianta alguém nos aconselhar a comprar uma coisa de 150 Euros, quando na realidade apenas dispomos de 50!
A adequação do nosso orçamento às expectativas e aos resultados que podemos vir a ter é meio caminho para a satisfação pessoal do utilizador, que é o que aqui se pretende.

E para isso, deixem-me dar um exemplo muito rápido e elucidativo:

Por um lado temos um aerógrafo de baixo preço, o HO3, feito na China pela empresa que também os vende sob o a marca Spray Master).
Por outro, temos um aerógrafo de preço elevado, o Iwata HP-C Plus:.

Se os compararmos a nível de aspecto exterior, são ambos muito semelhantes, e se os compararmos em termos de especificações técnicas, obtemos a tabela seguinte:

****************************MIG HO3********Iwata HP-C Plus
Tipo de Acção*****************dupla***********dupla
Tipo de Alimentação da tinta*****gravidade********gravidade
Tipo de Contentor de tinta*******copo grande******copo grande
Diâmetro do bico**************0,3 mm**********0,3 mm
Tipo de construção*************toda metálica*****toda metálica
Preço Típico*******************58 Euros********178 Euros

Nota: Os preços foram tirados respectivamente dos sites da “MIG Productions” e da “simple2trade.com”. Acrescem os portes para Portugal.

Analisando a coisa de uma forma exclusivamente formal, os aerógrafos das duas marcas têm características técnicas idênticas, logo permitirão obter os mesmos resultados. Por isso, porquê esta diferença abissal de preços, para 2 coisas que aparentemente fazem a mesma coisa e são tão parecidos?

Investimento no desenvolvimento de novos produtos, custos comerciais e de marketing, suporte técnico alargado, utilização de materiais mais nobres e resistentes na fabricação, melhor processo de fabrico que permite menores tolerâncias nas peças de precisão, etc, etc, são todas razões válidas, e ninguém em seu juízo perfeito acha que irá obter exactamente os mesmos resultados com um MIG do que com um IWATA, ou que o MIG irá durar tanto tempo como o IWATA.

Por isso é que eu disse que a selecção de um aerógrafo é simples!
Tudo se resume a quanto queremos gastar, pois existem aerógrafos com prestações semelhantes, aos mais diversos preços, e ao alcance de todas as bolsas.

E acaba por ser simples o truque de seleccionar economicamente o aerógrafo:

1. Começamos por estabelecer o nosso orçamento.

2. Em seguida fazemos uma lista marcas e modelos de aerógrafos que respondam às especificações técnicas descritas no capítulo anterior, e que, em simultâneo, caibam no nosso orçamento.

3. Na posse dessa lista, damos uma volta pela Internet à procura de críticas e comentários de utilizadores reais sobre esses modelos que seleccionámos.

4. Depois de ler a críticas e ponderar bem, chegamos à decisão final, de escolher o eleito (habitualmente tendemos sempre para o de preço mais elevado, vá-se lá saber porquê....)

As tarefas atrás descritas exigem bastante trabalho de pesquisa nas várias lojas e fóruns, de forma a arranjar informações fidedignas e o melhor preço possível, mas essa é a tarefa do comprador!

Em termos de marcas, existem tantas que é difícil enumerá-las a todas. Mas também não vale a pena, pois há 99% de probabilidade de irem acabar por comprar uma destas: Aztek, Badger (e marcas associadas), “Chineses” (MIGs, Chavez, AB, etc.), Iwata, Harder&Steenbeck, Revell ou Tamiya.

Para se perceber melhor o que o nosso orçamento nos permite atingir, podemos dividir o ”espectro económico” em gamas de preços, e identificar exemplos de aerógrafos que correspondem ao anteriormente seleccionado a nível técnico.

Gama 1 - 40 – 70 Euros (mais coisa menos coisa)
Como facilmente se percebe, este é o patamar mais baixo, o que significa sobretudo modelos feitos na China. Para além dos já referidos MIG, temos os Master Spray, os Sogolee e os Chaves, entre muitos outros.

Gama 2 - 80 - 120 Euros
Aqui já começamos a poder sair da China e a ir para outros lados, pois nesta gama existem imensos modelos da Badger (e marcas associadas), Aztek, Revell, etc.

Gama 3 - 130 - 160 Euros
Entramos numa gama mais alta, e podemos começar a pensar nos H&S Evolution, Iwata Eclipe, Iwata Eclipe, Tamiya HG, etc..

Gama 4 – 170 – 200 Euros
É aqui que, para mim, se atinge o limite do razoável em termos de investimento em aerógrafos para modelismo.
Nesta gama temos os H&S Infinity, e os Iwata Hi-Line, entre muitos outros.

De ressalvar que os preços acima expostos são meramente médios e indicativos, pelo que, na vida real, e graças a alguma promoção ou desconto, é muito possível obter produtos de uma gama mais elevada a um preço substancialmente inferior. É tudo uma questão de sorte e de oportunidade.


Capitulo 3 – Considerações Finais

Afinal a escolha de um aerógrafo não é nenhum bicho de 7 cabeças, pois não?

Espero que esta breve narrativa possa auxiliar alguém a ficar com as ideias mais claras e bem definidas na hora de escolher um aerógrafo, de forma a facilitar o processo de selecção e decisão.

Houve certamente muita coisa que ficou incompleta ou por dizer, mas é para isso que servem as actualizações!

Boa sorte!
Um Abraço

António Sobral
Avatar do utilizador
Antonio Sobral
 
Mensagens: 5483
Registado desde: 30 Nov 2005, 18:18
Localização: Oeiras
Medalhas: 31
3 GBs (1) 5 GBs (1) 10 GBs (1) GB 08 -20000 Léguas Submarinas (1) GB 09 - Helicopters in Action (1)
Nome real: António Sobral

MensagemEscrita por carlos preto » 06 Fev 2010, 21:43

Excelente explicação. Obrigado
Avatar do utilizador
carlos preto
 
Mensagens: 7
Registado desde: 31 Dez 2009, 12:46
Localização: Braga

MensagemEscrita por Vitor Sousa » 07 Fev 2010, 02:13

Ainda me lembro quando te enviei um email a perguntar que aerógrafo aconsenhavas, e tu começaste a responder assim:

"- Ora vamos lá cortar o elefante às fatias,..."

Bom, agora parece que o bicho foi fatiado na máquina, muito bom.

Grande abraço :wink:
Avatar do utilizador
Vitor Sousa
Moderador Sénior
Moderador Sénior
 
Mensagens: 1319
Registado desde: 02 Nov 2005, 00:41
Localização: Paço de Arcos - Oeiras
Medalhas: 10
3 GBs (1) 5 GBs (1) GB 09 - Helicopters in Action (1) GB 11 - De 22.Jun até Moscovo! (1) GB 14 -Aviação Mil. Portuguesa (1)
Nome real: Vitor Sousa

Re: Como Seleccionar um Aerógrafo para Modelismo

MensagemEscrita por Antonio Sobral » 28 Mar 2011, 10:38

Volta e meia aparece pessoal com esta dúvida, de forma que deixa cá desenterrar mais este tópico...
Um Abraço

António Sobral
Avatar do utilizador
Antonio Sobral
 
Mensagens: 5483
Registado desde: 30 Nov 2005, 18:18
Localização: Oeiras
Medalhas: 31
3 GBs (1) 5 GBs (1) 10 GBs (1) GB 08 -20000 Léguas Submarinas (1) GB 09 - Helicopters in Action (1)
Nome real: António Sobral

Re: Como Seleccionar um Aerógrafo para Modelismo

MensagemEscrita por Joao Sequeira » 14 Fev 2012, 16:52

Muito bom tópico!
Vai ajudar imenso a uma futura compra deste acessorio.
E que tal umas "luzes" acerca de lojas em Portugal onde possamos adquirir aerografos e afins?
Joao Sequeira
 
Mensagens: 47
Registado desde: 30 Set 2011, 08:51
Localização: Montijo
Nome real: João Sequeira

Re: Como Seleccionar um Aerógrafo para Modelismo

MensagemEscrita por Luís Dias » 15 Fev 2012, 18:32

Existem dois tópicos aqui no MnN sobre as lojas físicas e "on-line", muitas delas vendem aerógrafos.


Abraço,
Luís
Avatar do utilizador
Luís Dias
Administrador
Administrador
 
Mensagens: 1649
Registado desde: 08 Abr 2005, 12:40
Localização: Mafra
Medalhas: 2
GB 01 - Com 2 ou 3 Asas... (1) GB 06 - Asas PT-BR (1)
Nome real: Luís Dias

Re: Como Seleccionar um Aerógrafo para Modelismo

MensagemEscrita por mariomonteiro » 26 Mar 2012, 17:01

Olá Sobral,

excelente manual técnico.

Como tenho um Chaves AB300, tenho um aerografo para espalhar tinta... :(

Esta semana tentei fazer uma pintura mais permenorizada e não correu bem, mas foi só numa folha de papel para ver o que aquilo dava.

Abraço,
Mário Monteiro.
Avatar do utilizador
mariomonteiro
 
Mensagens: 95
Registado desde: 26 Nov 2008, 10:33
Localização: Gondomar

Re: Como Seleccionar um Aerógrafo para Modelismo

MensagemEscrita por Francisco Bexiga » 10 Dez 2014, 15:39

Creio que este site contém informação particularmente útil, no seguimento das indicações do Mestre Sobral:

https://sites.google.com/site/donsairbrushtips/home
Francisco Bexiga
 
Mensagens: 4032
Registado desde: 08 Abr 2005, 21:05
Localização: Lisboa
Medalhas: 6
GB 04 - Com 6 rodinhas apenas (1) GB 16 - Ecce Homo (1) GB 41 - Caixa de Sobras (4)
Nome real: Francisco Bexiga

Re: Como Seleccionar um Aerógrafo para Modelismo

MensagemEscrita por J. Costa Carvalho » 10 Dez 2014, 23:07

Boas amigo Sobral,

Volta e meia é sempre bom relembrar estes pequenos (grandes) pormenores!

Um grande abraço!
“Non nobis solum...”
---------
Na bancada:
- "D. Nuno Álvares Pereira" - VIRIATUS (54 mm.)
- "Afonso de Albuquerque" - VIRIATUS (54 mm.)
Avatar do utilizador
J. Costa Carvalho
 
Mensagens: 332
Registado desde: 20 Ago 2008, 00:28
Localização: Lisboa
Nome real: José António G. Costa Carvalho


Voltar a Aerógrafos e Ar Comprimido (compressores)

Quem está online

Utilizadores a consultar este fórum: Nenhum utilizador registado e 2 visitantes